A rotina de uma cidade abaixo de zero

População continua sofrendo com as baixas temperaturas, e convivendo com a dificuldade matinal causada pela combinação de frio, vento e geada

Para-brisa congelado na manhã fria da cidade

Na manhã de ontem (25), a temperatura mínima registrada foi negativa: os termômetros marcaram -3.9°C, de acordo com a estação meteorológica do jornal A Plateia e rádio RCC FM. E a população vem se aquecendo como pode, e também protegendo suas casas e veículos da melhor maneira possível.

Claudia Simone, auxiliar de laboratório

As paisagens locais mostraram-se de uma forma diferente no município. Os carros, as plantas e os pátios amanheceram encobertos por uma branca e fina camada de gelo. Os cartões postais de Livramento, como o Cerro de Palomas e o Lago do Batuva, ficaram encobertos pela cerração.

Mas mesmo com temperaturas polares, a vida não para. Há profissões em que a pessoas precisam acordar bem cedo. É o caso da auxiliar de laboratório Claudia Simone, que precisa colher sangue a domicílio dos pacientes. Para se aquecer, ela diz que usa uma estratégia simples: “Ter consciência de que a batalha é sempre diária, e que a correria de ir de casa em casa, faz com que o frio passe. Além disso, não podemos nos dar ao luxo de ficar em casa, esperando o frio passar”, finalizou Claudia.

Francielle Baldes, Adriana Oliveira e Monique Araújo: calor humano aquece

As colegas de trabalho Francielle Baldes, Adriana Oliveira e Monique de Araújo trabalham em uma cooperativa de leite e acordam às 7h todos os dias. Elas acreditam que a rotina não pode parar, e que a solução para o frio é utilizar o máximo de roupas possíveis. E ainda brincam dizendo que o calor humano também aquece. 

 

 

 

Carros precisam de cuidados especiais no inverno

Renato Martins: mais manutenção no inverno

No Parque Internacional, o taxista Hiber Denir Pedrozo conta que está na profissão há 20 anos, e o frio castiga e é horrível. Mas que paciência é uma virtude de quem mora na Fronteira e vive com estas temperaturas amenas.

“Além disso, o automóvel é o meu ganha-pão, e sei que preciso cuidar mais dele no inverno”, contou.

Em uma oficina da cidade, o proprietário, Luzardo Espírito Santo, afirma que com sua experiência no mercado há 37 anos, pode dizer que existem mais problemas nos automóveis no inverno. “Um problema sério é o combustível e os carros flex. A suspensão e as molas também ficam prejudicadas, pois o frio faz com que ressequem e se quebrem”, contou Luzardo.

Luzardo Espírito Santo, proprietário de oficina

O mecânico Renato Martins, que atua na cidade há 19 anos, indica que seja colocado um antiembassador na água do reservatório do para-brisas, sugerindo, ainda, que o condutor deixe o carro aquecer um pouco antes de sair de casa.

 

 

  

CUIDADOS

Mantenha seu veículo preparado para o inverno. Conheça os itens que merecem atenção redobrada na estação mais fria do ano. 

Pneus – A pressão dos pneus diminui com a queda de temperatura, sendo muito importante a verificação dos mesmos. Pneus com a calibração correta ajudam e favorecem a economia de combustível e duram mais.

Velas – A vela de ignição é um elemento muito importante para a produção de faíscas que desenvolvem a combustão do motor. Como nos dias frios o propulsor tem mais dificuldade na hora da partida, se as velas estiverem muito desgastadas, o momento de ligar o propulsor será mais complicado. A manutenção preventiva garante o bom funcionamento da ignição do motor.

Bateria – O frio intenso diminui a expectativa de vida da bateria. Por isso, vale ficar atento para o momento de trocar o componente, que deve ser substituído a cada dois anos e meio, dependendo do automóvel.

Motores a gasolina - A gasolina tem tendência a evaporar menos quando está frio e a sua queima fica mais “difícil” no inverno. É preciso ter paciência, pois as temperaturas mais baixas deixam ainda mais lento o processo de combustão.

Motores flex - O grande problema do etanol é que a partida do motor a frio é mais difícil que nos modelos que funcionam apenas a gasolina.

Na lataria – Se o carro ficar exposto à geada não se deve utilizar objetos pontiagudos ou abrasivos para retirar o gelo acumulado, pois poderá riscar ou ainda remover a pintura do carro.

 

Notícias Relacionadas

Os comentários são moderados. Para serem aceitos o cadastro do usuário deve estar completo. Não serão publicados textos ofensivos. A empresa jornalística não se responsabiliza pelas manifestações dos internautas.

Deixe uma resposta

Você deve estar Logando para postar um comentário.