Fluxo de argentinos reacende os debates

Prefeito deverá realizar chamamento para comunidade discutir sobre conjunto de elementos do setor

Com o fluxo de turistas argentinos e a temporada de verão, associados à quase insignificante oscilação do dólar, o tema turismo volta ao cenário. Ao longo da semana, várias foram as ponderações a respeito da questão, desde os aspectos de projetos de médio e longo prazo até as questões emergenciais, com uma melhor infraestrutura, logística e segurança (sombra, banheiros, organização de trânsito) para os argentinos que formam filas na frente da Polícia Federal, a fim de ingressarem no Brasil, para que tenham à disposição melhores condições de permanência enquanto aguardam os trâmites. Como conclusão, a partir da obviedade, há muito a fazer em termos de turismo, especialmente a partir da base. Projetos são vários, alguns em prática – como as pousadas rurais -, outros em suspenso – como o de divulgação dos atrativos reais da Fronteira em forma de filme, custeado e apresentado há mais de 2 anos pelo funcionário público aposentado e empresário Bernabé Ramos Basaldúa.

Glauber Lima: debate e busca por soluções

O start ocorre em função das questões pertinentes aos argentinos, mas, antes de tudo, o foco deve ser os santanenses. O prefeito Glauber Lima sabe disso e começa a articular, politicamente, possibilidades.

De forma peculiar, há expectativa para a quinzena de fevereiro e o fim do mês, quando deverá haver nova concentração de cidadãos da Argentina, realizando trâmites de entrada e saída na PF.

Na rua Silveira Martins, conforme já enfocado, há situações desconfortáveis, como pessoas urinando nas ruas, deixando vasilhames, caixas e restos de comida pelas calçadas e gramados das casas. Moradores, inclusive, se queixam do cheiro e de terem que realizar a limpeza após a saída dos turistas.

Cientificado sobre a situação, Glauber Lima considera que esse episódio sazonal entre janeiro e fevereiro, requer atenção, sim. “Vou conversar com as secretarias pertinentes para viabilizar soluções” – disse ele, na RCC FM. Porém, de acordo com o Prefeito, a tendência é de aumento no número de ingressos no Brasil. “Vai além. Isso é uma questão que tem que começar agora para o ano que vem. Nós vamos ter que nos preparar para a Copa do Mundo” – refere. “Eles vão entrar aqui aos borbotões, não só argentinos, mas uruguaios, e teremos que nos preparar com uma enorme estrutura para recebê-los. Precisamos, sim, evitar esse antimarketing – de saírem falando mal da cidade – pois isso é o pior que pode haver. As pessoas, no afã de ganhar, naquele momento, um dinheiro dobrado, estão afugentando, afastando” – disse o Prefeito, ao ser informado de que há casos

Cavalos soltos em plena calçada, sendo contidos por transeuntes para que não machuquem nem sejam machucados

em que turistas tiveram que pagar R$ 10,00 por um refrigerante.

Relatos dos moradores da Silveira Martins dão conta de várias situações que requerem, com urgência, correção. Primeiro: agentes municipais fazendo o controle de fluxo e de pessoas na via, não somente na questão de estacionamento, mas de orientação sobre as saídas. Depois: banheiros químicos que sejam mantidos limpos ao longo dos horários de permanência dos turistas. Também: uma coletora de lixo para que coloquem garrafas, restos de comida, etc…

Em determinada situação, até cavalos soltos foram encontrados na via. Um dos moradores da Silveira Martins enviou o seguinte relato: “Ontem, quando sai de casa, me deparei com uma situação, por volta das 17h. A pessoa de preto, de sobrenome Paixão, estava já há algum tempo, juntamente com um senhor que vende coisas para os argentinos, tendo que segurar os animais. Eles já haviam ligado para a Brigada, que respondeu que não era com eles, mas sim com os Serviços Urbanos. Mas não havia o contato para remover os animais e, naquele horário, na Prefeitura, a quem se poderia recorrer? Enfim, a solução foi pegar um animal mais manso que estava com uma corda e ir ‘tocando’. Atrás, os demais não se deixavam tocar. Inclusive, um era um potrilho que agredia o outro a todo momento. Imagine tudo isso com turistas na calçada, crianças e movimento das pessoas e da via pública, ônibus e carros. Levamos os animais para baixo, ao fim da Silveira Martins, nos trilhos do trem, pois segundo informações, o proprietário morava lá. Esse é apenas um dos tantos episódios vivenciados por nós, moradores. É o caos, falta apoio e informações, para começar”. 

Debate 

O primeiro mandatário confirma que já conversou com a secretária Denise Toledo, do Turismo. Destaca que tem a intenção de ampliar a discussão, com a convocação de uma audiência ou uma conferência, para construir alternativas. “Vamos chamar os donos de empreendimentos, pois quase todos dialogam com algum tipo de turismo, e fazer uma grande discussão na cidade, para organizar setores, criar um suporte melhor para o turista que vem para cá, pois essa pessoa, se, de fato, não for muito bem tratada, sai falando mal, muito mal da cidade e tende a não voltar. Passei em São Gabriel quando retornei de Brasília, em um hotel grande dali, estava cheio de argentinos; começa a perder até o setor hoteleiro” – disse o Prefeito

Projeto do engenheiro Tonetto, do DNIT, revitaliza a entrada da cidade desde o trevo de junção com a BR-293

Glauber Lima reforça que a secretária Denise esteve com a titular do Turismo estadual, Abigail Pereira, e confirmou o centro de atenção ao turista. Sobre ações conjuntas, inclusive no Telecentro que será instalado na rua Rivadávia Corrêa. “Acho que o intendente Marne Osório tem todo o interesse em parcerias, como no telecentro binacional, colocando um estagiário que fale em espanhol pois perguntei a ele sobre isso e a resposta foi: sem problemas” – ressaltou. 

Placas e projeto 

Para Glauber Lima, o turismo envolve várias frentes, é um conjunto, e partindo dessa premissa, enfatiza o aspecto participativo e integracionista com Rivera. “Quero agradecer, de público, ao engenheiro Toneto, chefe do Denit em Livramento, que me ofertou 20 placas de sinalização. Vamos colocar nessas placas, frases como “Terra da melhor água do mundo”, “Bem-vindo a Livramento, berço de Paixão Côrtes”, “Terra onde nasceu Nelson Gonçalves”, e algumas placas sinalizadoras de locais da cidade e outras fazendo saudações. Elas serão instaladas nas rodovias e próximas ao meio urbano, como acolhimento e despedida de uma cidade hospitaleira. Foi um gesto de grandeza dele. Defendi na campanha um projeto Entrada da Cidade, e ao conversar com ele soube que o Tonetto fez o projeto e protocolou no Departamento Nacional de Infraestrutura em Transportes (Dnit), em Brasília. Foi o que a gente defendeu. Está pronto” – resumiu Glauber Lima.

De acordo com o Prefeito, o projeto de João Carlos Tonetto prevê iluminação a partir do trevo de acesso à 293 – em direção ao hotel Comodoro – e todo o trecho da BR-158, iluminação e ruas laterais para as pessoas caminharem, e em direção ao Wilson e Armour, até o trevo de acesso à Urcamp.

“Fiz contato com o Dnit quando fui a Brasília, pois é uma gaúcha que está nesse setor lá, que tem contato com o deputado Paulo Pimenta e o Juliano Valejo. Tonetto pediu que fizesse a articulação política para assegurar os recursos. E um projeto vindo de um servidor do Dnit, pronto, é fantástico e viável tecnicamente”- concluiu.

 

Notícias Relacionadas

Os comentários são moderados. Para serem aceitos o cadastro do usuário deve estar completo. Não serão publicados textos ofensivos. A empresa jornalística não se responsabiliza pelas manifestações dos internautas.

Deixe uma resposta

Você deve estar Logando para postar um comentário.