Semana da Consciência Negra encerra com intensas atividades

Principal luta do Movimento das Mulheres Negras em Livramento continua sendo pela igualdade no mercado de trabalho

Integrantes do movimento das mulheres negras e do grupo Malaicá Marli Severo – Diretora Cultural, Yéssica- Mais Bela Negra Adulta, Evelin – 1a Princesa, Stefani- Mais bela negra Juvenil e Claudia – Presidente do Movimento

Para dar início à comemoração do Dia Nacional da Consciência Negra, ocorrido ontem (20), foi realizado um coquetel na Câmara Municipal de Vereadores na sexta-feira, dia 16. Na oportunidade, foi recebido o Conselho do Desenvolvimento Estadual do Negro (CODENE), nas pessoas do seu presidente e conselheiros para tratarem com a comunidade local assuntos pertinentes aos interesses dos negros. A principal temática abordada tratou da instituição do Conselho de Desenvolvimento da População Negra de Sant’Ana do Livramento. Entre as demais proposições apresentadas ao Conselho, esteve a integração da cultura afro nos festivais tradicionalistas dentro do Estado e a busca de cotas, não somente em universidades, como também em outros setores da sociedade, como política.

No último sábado (17), foi realizada a abertura oficial da Semana da Consciência Negra, com a apresentação “Mulheres Negras em Canto”, realizada no Clube Farroupilha, onde várias entidades estiveram presentes prestigiando o evento.

Durante a semana, o grupo Malaicá apresentou danças afro em diversas escolas da cidade e a presidente do Movimento das Mulheres Negras de Livramento, Claudia da Rosa Mendes, palestrou nos educandários abordando os temas que envolvem o negro na atualidade, como estudo, emprego e preconceito. “Apresentamos um vídeo mostrando aos alunos as personalidades negras brasileiras, entre eles o ministro Joaquim Barbosa, como forma de exemplo de que, com estudo, o negro tem condições de ocupar cargos altos na sociedade”, destacou Claudia Mendes.

Apesar do Movimento das Mulheres Negras receber apoio da Prefeitura Municipal, por exemplo, em viagens para concorrer a prêmios, o apoio da sociedade, segundo Claudia, poderia ser melhor. “Estamos à disposição para receber solicitações de lojas e boutiques para eventuais desfiles e também para que as lojas de cosméticos nos apoiem e lembrem de nós ao dispor a variedade de, por exemplo, pó para o rosto, que dificilmente encontramos no nosso tom de pele”, frisou.

ENTREVISTA

A Plateia: Quais as principais atividades do Movimento de Mulheres Negras?
Claudia: Além de eleger a Mais Bela Negra e Mais Belo Negro em diversas categorias, realizamos um trabalho de autoestima com os candidatos, além de, através do grupo de dança, trabalhar a cultura e a religião afrobrasileira. Além disso, o movimento participa do “Renafro Saúde”, com a realização atividades artísticas e exames médicos uma vez ao mês.

A Plateia: Há quanto tempo existe o movimento e qual o principal ideal dos participantes?
Claudia: Nesses 11 anos do movimento, nosso principal ideal é trabalhar em prol dos direitos da mulher e da mulher negra, principalmente no mercado de trabalho. Queremos concorrer com igualdade, recebendo salários iguais a quem desempenha mesma função.

 

Notícias Relacionadas

Os comentários são moderados. Para serem aceitos o cadastro do usuário deve estar completo. Não serão publicados textos ofensivos. A empresa jornalística não se responsabiliza pelas manifestações dos internautas.

Deixe uma resposta

Você deve estar Logando para postar um comentário.