Residentes na Colina dos Santos recebem certidões de suas casas

Prefeito Wainer Machado e secretário da Habitação, Sergio Munhoz, realizam entrega das concessões de direito real de uso aos moradores da Colina dos Santos, na região do Prado

Secretario Munhoz e prefeito Wainer entregam CDRUs

O prefeito Wainer Machado confirmou, ontem, a tranquilidade e a garantia do direito de realizarem melhorias em suas residências, consignadas a 50 famílias, que receberam, no início da semana, a Concessão de Direito Real de Uso (CDRU) de suas casas. São moradoras do bairro Colina dos Santos, região do Prado. O primeiro mandatário disse, na oportunidade, que esta foi mais uma etapa de formalização dos processos de regularização fundiária. A atividade, coordenada pelo prefeito Wainer Machado, formalizou o trabalho de Regularização Fundiária desencadeado pelos técnicos da Secretaria Municipal de Habitação, coordenada atualmente pelo titular da pasta, Sérgio Munhoz. “Munhoz e os técnicos da Habitação atuaram durante um longo período na localidade, para atualizar a documentação dos imóveis, instalados em áreas institucionais” – disse o prefeito. Ao receberem as certidões, diversos beneficiários não esconderam a satisfação por estarem habilitados a buscar melhorias para as suas casas, através de reformas que podem ser buscadas até junto a instituições de crédito, fortalecendo o setor de Construção Civil e geração de emprego e renda. Para o prefeito Wainer Machado, a entrega das CDRU poderia ter iniciado em 2007, mas a negativa da criação de uma comissão especial na época, atrasou para 2009 a sua viabilidade. “Lutava desde a década de 90, quando era vereador, por este momento de felicidade, pois se falava muito em retirar as famílias de suas casas, motivando medo e incertezas”- recordou Wainer. “Mesmo sendo um trabalho lento e burocrático, todos poderão usufruir com alegria de suas habitações, que apenas não podem ser vendidas”- acrescentou o prefeito, fazendo uma referência especial aos antigos moradores retirados das margens do Cerro do Registro, que permaneceram durante oito meses em abrigo improvisado junto ao cilindro do parque da Associação e Sindicato Rural, no ano de 1999. 

Depoimentos 

“Isto representa uma série de benefícios a estes moradores, que passam a ficar mais tranquilos para executarem seus projetos, pois aguardavam por muito tempo esta regularização” – enfatizou o pastor Adão Trindade. “Agora eu sei que é meu” – disse Juliane Marques, 32 anos, moradora há dez anos na residência que divide com o esposo Erani e os filhos Emanuele, 10 anos, e Giovane, 4. Mara Lisiane Vigil Lima, 36 anos, lembra do período que deixou a sua antiga casa, à beira do Cerro do Registro, para instalar-se no atual endereço, na Colina dos Santos. “Foram momentos de angústia e sofrimento, com filha pequena e sem uma casa para morar” – frisou. Após estes anos, acredita ser esta uma mistura de alegria e realização, compartilhada com o esposo Jorge e os 4 filhos, entre elas Débora Cristina, hoje com quinze anos e que completou aniversário de dois anos junto ao abrigo improvisado.

 

Notícias Relacionadas

Os comentários são moderados. Para serem aceitos o cadastro do usuário deve estar completo. Não serão publicados textos ofensivos. A empresa jornalística não se responsabiliza pelas manifestações dos internautas.

Deixe uma resposta

Você deve estar Logando para postar um comentário.