PF suspende operação-padrão do fim de semana, mas continua mobilizada

Greve da categoria continua pelo menos até quarta-feira que vem (15), quando está agendada uma reunião com o Ministério do Planejamento 

Além da reestruturação salarial, a categoria está na 104ª posição na tabela dos servidores de nível superior no Executivo Federal. Os policiais federais também pedem, entre outras questões em áeras de Fronteira, a proposta que cria o Adicional de Fronteira, a qual está tramitando na Câmara dos Deputados. O Projeto de Lei 4264/2012 prevê um adicional de R$ 91,00 por dia de efetivo trabalho nas unidades da Polícia Federal. Conforme a proposta, o adicional de fronteira será implantado no contracheque dos policiais a partir de 1º de janeiro de 2013.
O adicional de fronteira é uma reivindicação da Federação Nacional dos Policiais Federais e de seus sindicatos filiados. Durante os últimos meses os policiais organizaram manifestações nas fronteiras, participaram de audiências públicas e atuaram junto ao executivo para que o adicional avançasse.

Os policiais federais lotados na Delegacia Regional da Polícia Federal, em Sant’Ana do Livramento, mantiveram na sexta-feira (10) a mobilização iniciada na última terça-feira (07), assim como vem ocorrendo nas demais cidades do País pela categoria.

Em Livramento, a operação-padrão que estava prevista para ocorrer nas principais rodovias da cidade, neste fim de semana, acabou suspensa, seguindo uma determinação do comando grevista, que está depositando um voto de confiança nas negociações junto ao Governo Federal.

Uma reunião com todos os sindicatos de policiais federais do País decidiu, na quinta-feira (09), que a greve da categoria continua pelo menos até quarta-feira que vem (15), quando está agendada uma reunião com o Ministério do Planejamento.

De acordo com a Fenapef (Federação Nacional dos Policiais Federais), o governo já acenou que vai negociar com a categoria, mas não fez nenhuma proposta concreta.

A Polícia Federal entrou em greve na última terça-feira, e desde então fez operações-padrão em aeroportos, portos e pontes nas fronteiras do País. A emissão de passaportes também está prejudicada. Além dos agentes, estão parados os escrivães e papiloscopistas.

Em Livramento, a emissão de passaportes também foi reduzida quase a zero e somente pedidos de urgência estão sendo atendidos. Segundo informações colhidas junto ao setor de Passaportes e Estrangeiros da Delegacia de Polícia Federal, em junho foram emitidos 68 passaportes e no mês de julho 53, com uma média de dois por dia, mas com a mobilização da categoria o serviço está suspenso desde terça-feira. “Apenas estamos realizando serviços para casos de urgência, como de saúde ou por morte”, destacou um dos agentes da PF.

Além do Rio Grande do Sul, em estados como Paraná, Goiás, Minas Gerais, Pernambuco e Ceará, a emissão de passaportes foi reduzida quase a zero.

Quem já pagou as taxas para a retirada do documento e não for atendido terá de remarcar data para pegar o passaporte, o que pode ser feito pelo site da PF. Apenas passaportes de urgência estão sendo emitidos e só os que já estão prontos serão entregues.

 

Notícias Relacionadas

Os comentários são moderados. Para serem aceitos o cadastro do usuário deve estar completo. Não serão publicados textos ofensivos. A empresa jornalística não se responsabiliza pelas manifestações dos internautas.

Deixe uma resposta

Você deve estar Logando para postar um comentário.