A homenagem que é mais que justa

Cachorros-quente ainda são vendidos na divisa das cidades

Seu Vieira não fica sem a companhia dos amigos, sem contar a presença fiel da sua clientela

A freguesia é contente. Mostarda, maionese, catchup. E a sombra, é claro. Tem de tudo no Parque Internacional. Só o cachorro-quente de Jesus Quevedo Vieira, 64 anos, já faz sucesso há mais de 30 anos. E amanhã, sábado, é um dia especial para ele e sua família, que educou e formou com muito esforço e suor. Dedicação e empenho não faltaram. A comemoração vai ser grande na residência dos vieira.

O carrinho de cachorro-quente fica estacionado, não anda por aí como a móvel de A Plateia e RCC FM, sempre em busca da informação. O cotidiano vivido é diferente: “Vejo coisas boas, ruins. O dia que não venho eu estranho, porque isto aqui faz parte da minha vida. Aqui criei uma família, eduquei filhos, graças a Deus”.

O trabalho é satisfação, e ela aumenta ainda mais quando os amigos estão sempre presentes. Para o pintor de obras Floravante Silveira Soares, mais popularmente conhecido como Bica, a satisfação de seu Vieira é a sua: “Sempre estou junto com ele. A bem dizer, meu escritório é aqui. Todos os dias a gente vem fazer o lanche aqui, na tarde, na manhã e ao meio-dia para quebrar o galho. A gente se reúne aqui sempre, para colocar os assuntos em dia”, conta.

Com os amigos sempre por perto, Seu Vieira é o cara. Trata a todos da mesma forma, com a mesma atenção. Inclusive, oferece pesto de brinde. A reportagem provou do lanche, e saiu satisfeita. Fazia tempos que não comia o bom e velho cachorro-quente, com salsicha de Rivera.

Enquanto A Plateia estava presente, pode- -se ver que clientes não faltam para Vieira. O representante comercial Tiago Armesto, de 26 anos, por exemplo, sempre vai ao encontro de Vieira quando passa pela Fronteira da Paz. E isso não é de ontem; começou há sete anos. Até o fim de semana, Tiago Armesto ainda vai degustar mais panchos no Parque Internacional. “Já comi várias vezes. Na verdade, nem gosto muito de cachorro- -quente, mas como a salsicha dele é do Uruguai eu até como. Se ele não estiver aqui eu não como”, afirma.

O reconhecimento

O aniversário de “estacionamento” do cachorro-quente de Seu Vieira no Parque Internacional no próximo sábado, serve como agradecimento à ajuda que o ex- -prefeito Guilherme Bassedas deu a ele. “A ele eu devo muito. Não posso esquecer de nenhum freguês que eu tive, porque nestes anos eles me deram tudo o que eu precisei: saúde e paz. Me ajudaram. Isso aqui é uma parte do meu lugar. A partir daqui, eduquei meus filhos e graças ao povo, graças à cidadania que temos aqui, graças às pessoas que convivem no dia a dia tive a sorte de criar meus filhos”, finaliza.

Notícias Relacionadas

Os comentários são moderados. Para serem aceitos o cadastro do usuário deve estar completo. Não serão publicados textos ofensivos. A empresa jornalística não se responsabiliza pelas manifestações dos internautas.


1 Comentário

  1. XURECO

    Bah tenho que concordar é muito bom o pancho do Seu Vieira , sempre que vou de Floripa visitar minha Santana nao tem como nao passar ali n parque e devorar uns panchos co u refri ou u chope beeem gelado parabéns ao Seu Vieira e a Platéia pela homenagem prestada

Deixe uma resposta

Você deve estar Logando para postar um comentário.