Camelôs uruguaios desocupam a linha

Vendedores ambulantes devem ficar instalados no parque Internacional para readequação do local

Praça dos Cachorros e Passeo 33 pode ser visto na tarde de ontem

Os vendedores ambulantes que estavam localizados no lado uruguaio, no Passeo 33, desmontaram as suas barracas na tarde de ontem conforme determinação da Intendência de Rivera. Segundo os vendedores foi apresentado ao intendente do município, Marne Osório um projeto arquitetônico para uma completa remodelação e novo layout do local.

“Fomos recebidos pelo Secretario General, Abilio Briz, em agosto e ele nos informou que os arquitetos da municipalidade estavam estudando um novíssimo projeto arquitetônico para o Paseo 33 Orientales. Ele confirmou ter recebido a contribuição de um projeto dos ambulantes uruguaios, como sugestão de trabalho às iniciativas da Intendência, mas até agora não sabemos como será esse projeto”- destacaram os vendedores enquanto desmontavam as estruturas.

Novo local

Os vendedores ambulantes uruguaios que tinham barracas instaladas no local, devem montar a estrutura no parque Internacional na tarde de hoje. “Tivemos que fazer um mutirão e comprar as barracas, foi um acordo que fizemos, mas até agora não sabemos como será feita a montagem da estrutura nem em que local do parque seremos colocados”- falou Tânia Ribeiro, vendedora ambulante há 12 anos.

A previsão é de que os vendedores fiquem durante sessenta dias no Parque Internacional enquanto a Intendência conclua os trabalhos de restauração do local. Na manhã de hoje funcionários de Rivera devem começar as obras no Passeo 33 e a previsão é de que os camelôs retornem ao local o mais breve possível.

Tânia Ribeiro é ambulante há mais de 12 anos e está muito esperançosa com relação ao novo projeto que será instalado. “Eu espero que essa mudança realmente seja para melhor pois estamos fazendo tudo dentro do pedido. Fizemos um mutirão para comprar as barracas de lona para colocar lá no parque Internacional, e hoje vamos ver como vai ficar. Estou confiante que o local com uma nova estrutura vai nos favorecer. Estava realmente muito desorganizado. Só espero que os responsáveis não demorem para readequar o lugar para a gente voltar, pois lá no parque acho que vai ser mais dificil de vender, aqui o pessoal já estava acostumado.”

A jovem Carmem Molinari, trabalha no local há mais de 6 anos e está apreensiva com relação ao futuro. “Não sei o que vai nos acontecer, pois disseram que amanhã vão nos indicar o local que vamos ficar. Já compramos as estruturas,  todas iguais, o que não sabemos é quanto tempo iremos ficar por lá.”

Mariana há dez anos como vendedora também ressaltou que espera que tudo dê certo.

 

Notícias Relacionadas

Os comentários são moderados. Para serem aceitos o cadastro do usuário deve estar completo. Não serão publicados textos ofensivos. A empresa jornalística não se responsabiliza pelas manifestações dos internautas.

Deixe uma resposta

Você deve estar Logando para postar um comentário.