São Silvestre, a corrida da virada

 

Sábado, 31 de dezembro, 9h. Será dada a largada para a 21ª Corrida Internacional de São Silvestre da Fronteira Livramento-Rivera. A organização e realização é do Clube dos Corredores de Rua (Corsa), com apoio de várias empresas, bem como transmissão ao vivo pela rádio RCC FM. O início dos boletins será às 8h15 e, até o momento, há dez atletas inscritos, mas como é praxe, a maioria das inscrições ocorrem pouco antes do início da prova, pois muitos são os atletas que chegam momentos antes para fazer suas inscrições.

O último evento esportivo do ano terá cobertura completa da emissora santanense e da Editoria de Esportes de A Plateia, além do acompanhamento da móvel. Segundo o comunicador Danúbio Barcellos, que responde pela coordenação da transmissões, para efetivar esse trabalho, as equipes da RCC FM e do Jornal A Plateia estarão estrategicamente posicionadas, sendo que as duas unimóveis da RCC FM estarão acompanhando o percurso. O percurso da corrida após a largada será em direção ao Parque da Hidráulica, entrando para Rivera pela avenida Manuel Oribe até esquina do Cemitério, retornando pela própria avenida entrando à direita pela Novena até o trevo 4 Bocas, pegando a esquerda pela Aduana no Porto Seco, entrando para o lado brasileiro, passando pelo viaduto do Armour, pelo trevo de acesso ao Povinho e pelo trevo de acesso ao Wilson, seguindo em direção à BR 158, pela avenida João Goulart, indo até o Parque Internacional. Os corredores entrarão pelo meio do parque, na avenida João Goulart, finalizando a prova junto ao obelisco.

As inscrições são gratuitas para a corrida, e já estão sendo feitas na RCC FM pela parte da manhã, com Barcellos, e a organização e premiação está a cargo do Corsa – Clube de Corredores de Sant’Ana do Livramento, que tem como presidente Otávio Barbosa. Os prêmios consistem em troféus para os primeiros lugares e medalhas.

A 21ª Corrida Internacional de São Silvestre, em sua transmissão, conta com o patrocínio do Laboratório Dr. Bolivar, Folle Corretora de Seguros, Concretex, Tecshop e conta com o apoio da Feira Central na doação de frutas e da água mineral Sarandi.

A exemplo de sua homônima realizada em São Paulo, a São Silvestre santanense nunca deixou de ser realizada e começou como uma corrida rústica partindo da frente do clube Duque de Caxias.

Este ano, pela primeira vez, é alterado o horário do certame, que tradicionalmente era desenvolvido a partir das 19h30, mas com apelo dos atletas, ficou definido o novo horário, a partir das 9h. A expectativa é de uma participação de atletas de Livramento, Rivera, Quaraí, Porto Alegre, entre vários outros municípios da região da Fronteira Oeste e Campanha, bem como de outras localidades gaúchas e uruguaias.

ORIGENS

O jornalista Cásper Líbero, um milionário que fez fortuna no início do século XX na imprensa, é o idealizador e fundador da Corrida de São Silvestre – hoje internacional, realizada em São Paulo. Sua ideia original era usar a corrida como promoção de seu jornal. Em 1928, ano da quarta edição do evento, Líbero fundou um dos primeiros periódicos dedicados exclusivamente ao esporte no País, a Gazeta Esportiva, que passou a ser a organizadora e patrocinadora oficial do evento, condição que detém até hoje. A primeira edição foi realizada em 31 de dezembro de 1925, com 60 inscritos, dos quais 48 compareceram e só 37 foram classificados. A Corrida de São Silvestre nunca deixou de realizar-se, nem mesmo durante a II Guerra Mundial.

Em Sant’Ana do Livramento, a São Silvestre surgiu inspirada no evento paulista, já com a característica binacional em 1985. A partir de uma corrida rústica com chegada e largada no clube Duque de Caxias, atletas reuniram-se e criaram o Corsa, ao mesmo tempo em que por ideia do fotógrafo Paulo Pinto, foi instituída a São Silvestre Internacional de Livramento, definida para realização a partir das 19h30 de 31 de dezembro. A pedido, em alguns anos, foram realizadas no domingo imediatamente anterior a 31, porém, nessas oportunidades não ocorreu mudanças de horário. Este é o primeiro ano em que a competição será realizada pela manhã, a fim de garantir melhores condições para os atletas.

SILVESTRE I – O Homenageado

São Silvestre I foi papa entre 31 de janeiro de 314 até 31 de dezembro de 335, durante o reinado do imperador romano Constantino I, que determinou o fim da perseguição aos cristãos, iniciando-se a Paz na Igreja. Silvestre I foi um dos primeiros santos canonizados sem ter sofrido o martírio. Enviou emissários para presidirem ao sínodo de Arles (314) e ao Primeiro Concílio de Niceia (325), convocados por Constantino. Sua ausência é motivo de debate, provavelmente deve-se a seu estado de saúde. Durante o seu pontificado a autoridade da Igreja foi estabelecida e se construíram alguns dos primeiros monumentos cristãos, como a Igreja do Santo Sepulcro em Jerusalém, e as primitivas basílicas de Roma (São João de Latrão e São Pedro), bem como das igrejas dos Santos Apóstolos e de Santa Sofia em Constantinopla.

 

 


O presidente do Corsa, Otavio Jorge Barbosa

Novo horário de prova, nova inspiração

 

Otávio Jorge Barbosa é fundador do Corsa e hoje preside a entidade promotora da São Silvestre. A partir de uma corrida rústica em 1985, com Paulinho Pinto, a família Chamorro, Luis Mansilha e Severiano Silva, Barbosa integrou o rol de iniciadores do clube, que visa congregar corredores e maratonistas, bem como promover eventos do gênero.

A data de fundação foi 18 de maio.

“Temos personalidade jurídica e tudo direitinho, mas falta muito o apoio e as coisas são muito caras, como equipamento, vestuário e tênis. Fizemos algumas parcerias no passado, outras mantemos até hoje. Desde o primeiro ano até o ano 2009 tivemos a rádio Cultura transmitindo e, ano passado, como neste, a RCC FM é apoiadora, acompanhando e transmitindo todo o percurso” – diz.

Barbosa ressalta que Livramento tem, talvez, a única corrida de nível internacional, com percurso em duas cidades. O próprio presidente era corredor de maratonas. “Comecei a correr em 1968, permanecendo na ativa sempre que havia oportunidade, até que, óbvio, tive que parar” – conta, salientando que para a maioria dos atletas não há muitos recursos externos, pois poucas são as empresas que investem durante todo o ano, e um atleta tem necessidades de alimentação, treinamento e equipamentos diferenciados.

A atleta Ana Berenice Planella Acauan aguarda a disputa

A dedicação de uma atleta competitiva

 

Correr de forma competitiva é, para a dermatologista Ana Berenice Planella Acauan, uma atividade essencial, o que é perceptivel já na menção ao assunto. Após três meses de treinamento, há 9 anos, ela mantém o ritmo, acompanhada do esposo, Paulo, e vibrou com a notícia de que a São Silvestre da Fronteira estava com novo horário. “Antes, era um horário difícil, pois gerava muito sofrimento aos participantes, desidratação, de uma atividade prazeirosa para fechar o ano, virava um suplício” – conta, relatando as participações quando a prova era à noite. Além do calor que, em muitos anos passava dos 40°C, era possível que os atletas sentissem o vapor quente do asfalto que, durante o dia inteiro, havia estado exposto ao sol intenso. “Dava a sensação de que a gente estava cozinhando, mas tivemos uma boa notícia”, – resume. Além da alimentação diferenciada na quinzena que antecede cada prova, a atleta treina regularmente toda a semana. São 3 treinos semanais na pista da 2ª Bateria, duas vezes na estrada/asfalto e duas vezes na semana musculação. Somente aos sábados treina com o esposo Paulo e um amigo do casal, o militar Milton. Maratonista, considera que ao longo do percurso, as manifestações de estímulo das pessoas permitem a superação. “A autoestima melhora, principalmente em uma maratona (42,2 Km)” – diz. Considerando o percurso local mais difícil do que o paulista, não faz questão de participar em São Paulo, pois a São Silvestre na capital paulista tornou-se festiva. “Temos amigos que foram e a gente não consegue imprimir ritmo, fica andando um bom tempo” – pondera.

Possibilidades

Luis Fajardo, Hilton Guillenea, Maia e Mirna Vazques (de Rivera) são os atletas que poderão fazer a diferença nesta São Silvestre 2011. Não são descartadas surpresas, entretanto, pois há quem considere o percurso de Livramento muito mais difícil do que o da São Silvestre paulista.

SERVIÇO

Inscrições: abertas na fase pré, pelo telefone 3242 2882 com Danúbio.
Documento: identidade com foto. Confirmação a partir de 8h no local de partida da prova, dia 31.
Acesso: gratuito
Percurso: 15 Km entre Livramento e Rivera
Dificuldades: trechos de aclives mais íngremes e calor
Temperatura estimada: a partir de 20 a 25 graus em média
Tempo médio: 43 a 46 minutos, dependendo da performance do atleta.
Último vencedor: Luizinho Fajardo (2010)
Recorde oficial: não computado
Categorias: 9
Geral > considerada a força de elite da prova
Masculinas> 15 a 19 anos 20 a 29 anos, 30 a 39 anos, 40 a 49 anos, 50 a 59 anos, 60 a 66 anos e a partir de 67 anos.
Feminina> única, a partir de 15 anos
Premiações:
Geral > Troféus de 1o a 5o
Demais categorias> Troféu para o 1o colocado e medalhas para o 2o, 3o, 4 oe 5o lugares.
Feminina> Troféus de 1o a 5o colocadas.

Notícias Relacionadas

Os comentários são moderados. Para serem aceitos o cadastro do usuário deve estar completo. Não serão publicados textos ofensivos. A empresa jornalística não se responsabiliza pelas manifestações dos internautas.

Deixe uma resposta

Você deve estar Logando para postar um comentário.