BM atende caso de violência familiar e acaba sendo acusada de omissão de socorro e invasão de prédio

Policiais constataram que adolescente de 14 anos havia sido agredida pelo próprio irmão

Uma guarnição da Brigada Militar foi acionada na noite da última quinta-feira (22), por volta das 20h52 para atendimento de uma ocorrência de agressão a uma adolescente de 14 anos de idade, na rua Conde de Porto Alegre. Enquanto a viatura se dirigia até o endereço da ocorrência, várias outras ligações foram realizadas ao 190 da Brigada Militar, com denúncias sobre o caso. No local dos fatos, os policiais encontraram o pai dos envolvidos na ocorrência, tendo o mesmo levado a filha para dentro do apartamento, para que os mesmos não vissem as lesões corporais da vítima.

Segundo relato policial, o pai dos envolvidos negou, em um primeiro momento, que naquele local tivesse ocorrido algum tipo de briga, mesmo assim, não permitiu que a filha fosse vista. Os policiais resolveram, então, entrar em contato com os moradores dos apartamentos vizinhos, os quais acusaram o irmão da vítima, como autor das agressões à adolescente. Os moradores também informaram que a vítima costuma apanhar sempre dos pais, dentro de casa.

A guarnição, diante de tais fatos, aguardou no local, a chegada de um superior.

Quando a sargento auxiliar, acompanhada de um advogado da OAB/RS chegou ao local da ocorrência, o pai dos envolvidos acusou a guarnição que estava atendendo o fato de ter negado socorro à sua filha (vítima). Ele também disse que a porta tinha sido quebrada pelo filho, quando da tentativa de impedir que o namorado da irmã entrasse na casa para defender a mesma, tendo provocado lesão no joelho desta terceira pessoa. O pai dos envolvidos também acusou os policiais de terem invadido o prédio onde mora.

Os fatos foram registrados na Delegacia de Polícia de Pronto-Atendimento (DPPA), assim também como o relato das testemunhas do fato.

Notícias Relacionadas

Os comentários são moderados. Para serem aceitos o cadastro do usuário deve estar completo. Não serão publicados textos ofensivos. A empresa jornalística não se responsabiliza pelas manifestações dos internautas.

Deixe uma resposta

Você deve estar Logando para postar um comentário.