Cemitérios e restaurantes estiveram movimentados

Fluxo de pessoas na cidade marcou a passagem do Dia das Mães

Movimento nas churrascarias locais foi intenso

O movimento dobrou na Fronteira devido ao Dia das Mães, comemorada no domingo. A segunda data de maior movimento, também marcou os restaurantes, onde as mães puderam “descansar” da cozinha e o cemitério municipal, onde famílias homenagearam as mães que já partiram.

No restaurante e churrascaria Coisa Nossa, o movimento foi bom e um expressivo número de pessoas passou pelo local. Além disso, as mães receberam rosas como brinde, e quem aguardava mesa disponível, pôde ouvir excelentes músicas ao vivo e a média de tempo de espera ficou entre meia e uma hora. Em outro restaurante e churrascaria da Cidade, o movimento também foi intenso e às 15h ainda permanecia lotado.

Segundo a sócia-proprietária e gerente, Maritani Defendi, “esta é a data de maior movimento do ano. Um número expressivo de pessoas circula aqui, mas depende muito. Oferecemos para as mães, uma rosa de chocolate”, afirmou.

Depoimentos de mães que celebraram a data no restaurante:

À esquerda, Valentina Albornoz Pavão e João Barbosa e à direita, Thereza Barbosa e Carmen Albornoz

João Barbosa comemorou a data com a família no restaurante. “Viemos almoçar aqui para poupar as mães da cozinha e confraternizar com elas”, concluiu. 

Dona Maria Thereza Barbosa declarou que “esperamos 40 pessoas, que estavam na frente para almoçarmos, mas estava muito bom e fomos bem atendidos”, destacou.

Segundo Carmen Albornoz, este ano, a decisão foi fazer algo diferente. “Em geral almoçamos em casa ou com os amigos nesta data”, afirmou ela. 

A família Regazon também comemorou a data no restaurante. “Viemos almoçar aqui, porque é o melhor lugar da cidade. Esperamos em torno de duas horas, mas valeu a pena”, declarou.

Ticiana Prates Nadal e Marisa Santanna também saíram da cozinha e celebraram a data em restaurante. “Sempre que estou na cidade, viemos na churrascaria. Tivemos que esperar uma hora e vinte, mas valeu a pena”, observou.

 

Depoimentos de famílias que foram ao cemitério homenagear as mães que já partiram:

Inaldi Vieira e Eloísa Lopez visitaram as mães que já partiram há mais de vinte anos. “Viemos visitar os túmulos delas sempre, em datas comemorativas e durante o ano também, quando podemos. Fizemos homenagens e rezamos”, concluíram.

Moacir Saraiva e Lúcia Mendes também foram visitar aos túmulos de suas mães. “Viemos visitá-las, trazer flores e homenageá-las, pois a carne se termina, mas o espírito continua. Em datas comemorativas e em aniversários, sempre viemos no cemitério”, destacou.

Maria Ferreira também visitou o túmulo da mãe. “O intuito é de trocar as flores e prestar uma homenagem a ela, já que faz 14 anos que faleceu. Venho às vezes, no cemitério, é triste, mas a gente sabe que é assim”, afirmou.

 

Notícias Relacionadas

Os comentários são moderados. Para serem aceitos o cadastro do usuário deve estar completo. Não serão publicados textos ofensivos. A empresa jornalística não se responsabiliza pelas manifestações dos internautas.

Deixe uma resposta

Você deve estar Logando para postar um comentário.