Pai é morto pelo filho

Após presenciar as agressões sofridas pela mãe, garoto efetuou um disparo contra a vítima.

O disparo efetuado com uma garrucha, calibre 22, teria acertado a região do peitoral da vitima

A manhã chuvosa de ontem foi marcada por um homicídio em Livramento. O crime aconteceu por volta das 10h, na Vila Cruzeiro. De acordo com a polícia, Luís Alberto de Araujo Franco, de 62 anos, foi morto com um tiro no peito, disparado pelo próprio filho, de 14 anos.

Tudo teria começado mais cedo no interior da residência da família, em uma briga entre a vítima e a esposa. Ele estaria tentando agredi-la. O garoto não conseguindo conter a briga, teria realizado um disparo no peito do pai, na tentativa de defender a mãe.

As brigas entre marido e mulher se estendiam aos filhos

Segundo a polícia, já existia um histórico de desentendimento entre marido e mulher, que eram casados há 41 anos. A esposa já tinha registrado diversos boletins de ocorrência contra Luís por agressão, o último foi em 2007. A família conta que as denúncias teriam parado, mas as agressões não. 

Em defesa da mãe

O garoto de 14 anos contou os detalhes do que o motivou a atirar contra o próprio pai. Em depoimento à polícia, ele fala que estava em seu quarto quando começou a ouvir o barulho da discussão do casal, a partir de certo momento, Luís teria começado a ofender a esposa e a jogar objetos contra ela. Segundo depoimento do garoto, a vítima teria ameaçado virar uma panela com água quente em cima de sua neta, um bebê que também estava na casa. Nesse momento, a mãe teria começado a gritar o nome do filho, pedindo por ajuda. O garoto conta que foi até a cama do casal e pegou a arma, uma garrucha calibre 22, de numeração raspada, que o pai guardava embaixo do colchão. A vítima segurava a esposa com as mãos em volta do pescoço, o garoto pediu para o pai soltá-la. Em depoimento, o menino relata que vendo o pânico da mãe, efetuou o disparo, acertando o peito do pai, que morreu no local.

Arma do crime – garrucha calibre .22

Histórico de violência do pai

De acordo com familiares, Luís sempre apresentou um comportamento agressivo, inclusive ele teria arrancado parte da orelha de uma filha com uma faca, em uma discussão. A esposa, há muito tempo estaria sendo agredida por Luís. Uma parente da vítima, que preferiu não divulgar seu nome, avaliou a relação do casal como “41 anos de sofrimento”.

Como a polícia trata o caso

A delegada Giovana Muller, em entrevista à A Plateia, contou que entendeu o caso como legítima defesa a terceiros, já que o garoto tentou defender a mãe que estava sofrendo ataque do marido. O inquérito será enviado ao Ministério Público.

 

Os comentários são moderados. Para serem aceitos o cadastro do usuário deve estar completo. Não serão publicados textos ofensivos. A empresa jornalística não se responsabiliza pelas manifestações dos internautas.

Deixe uma resposta

Você deve estar Logando para postar um comentário.