Trabalhadores ameaçam voltar à praça por atraso no pagamento

Santa Casa tem prazo até esta segunda-feira para colocar folha de março em dia

Silvio Madruga do Sindisaúde, na praça em frente a Santa Casa

Os trabalhadores do Hospital Santa Casa de Livramento ameaçam voltar à praça Oriovaldo Greceller nesta segunda-feira (14), a fim de protestar sobre os sucessivos atrasos dos pagamentos salariais, que conforme o Sindisaúde deveria sair até o 5º dia útil de cada mês como prevê a lei trabalhista. O sindicato destacou que no mês anterior os salários foram pagos no dia 20 de março e o descumprimento da promessa de regularização da data do pagamento para este mês acabou provocando uma indignação na equipe. “A administração da Santa Casa prometeu que após o mês de março iria regularizar o pagamento para o 5º dia útil, através de empréstimos com o Banrisul e os trabalhadores confiaram nesta promessa a qual não foi cumprida e até o momento, a folha não foi paga. Com isso a classe vem pagando juros sobre juros, mês após mês e isso não pode continuar assim, pois no ano os trabalhadores chegam a perder de um a dois salários, somente com os juros pagos pelos atrasos”, destacou o presidente do Sindisaúde, Silvio Madruga.

Na quarta-feira, uma faixa dizendo “Campanha Salarial 2013-2014 da Saúde-A categoria que também faz saúde, merece reconhecimento! Trabalhador, dignidade já!”, foi colocada em frente à Santa Casa e anunciava os indicativos de paralisação que acabaram se confirmando em Assembleia realizada no dia seguinte.

Os trabalhadores definiram que irão paralisar uma hora pela manhã e uma hora à tarde, a partir de segunda-feira, caso os salários não sejam pagos. “Subestimam a inteligência do trabalhador. Temos o pior salário do Rio Grande do Sul, para os técnicos em enfermagem, piso de R$ 1.100,00 que passou na AL, a Santa Casa acenou que não irá cumprir. A comunidade pode ficar tranquila que vamos manter o atendimento, mas precisamos nos mobilizar. Também estamos reivindicando o reajuste salarial para os técnicos de enfermagem, que por ventura também não sai na data base (1º de maio), vamos paralisar”, explicou Madruga. 

Diretor administrativo Adolfo Ferreira

Diretor Adolfo Ferreira

“A Santa Casa Recebe recursos da contratualização dia 15 ou 16 de cada mês. Este é o único dinheiro forte que nós recebemos para poder pagar os nossos funcionários- recebemos e no mesmo dia atualizamos a folha de pagamento. Por incrível que pareça, o Sindicato reivindica que o pagamento saia no dia 5. Sabemos das nossas obrigações, não precisamos do sindicato para nos ensinar o que a lei determina, sabemos perfeitamente, só que nos falta recursos. O Governo ao invés de nos pagar no dia 5 nos encaminha o dinheiro lá pelo dia 15. Outro dia, um deles fez uma referência, de que a Santa Casa deveria reunir recursos, mas como poupar recursos? A Prefeitura, por exemplo, nos deve o mês de fevereiro, o mês de março e daqui a pouco o mês de abril também e nada recebemos, apenas explicações. Então não temos recursos que sobre, infelizmente para atender, como pretendem estas pessoas, no dia 5. Sabemos que a classe trabalhadora realmente merece receber nesta data e gostaria de pagar nesta data, mas não deixamos de pagar até o dia 15, então este é um quadro que vem se desenrolando há dois anos, quando assumi como diretor administrativo e isso se repete a cada mês, não sendo um fato novo. Temos um calendário de recebimento de recursos e este calendário mostra indubitavelmente que o dinheiro vem lá pelo dia 15. Quanto os técnicos de enfermagem, isso para nós é uma novidade. Estamos tomando conhecimento deste fato e já recebemos uma recomendação escrita por parte da federação dos hospitais e alguns já estão pagando e com toda a certeza, nós não vamos furtar de cumprir com as nossas obrigações, portanto é inócua, desnecessária, absolutamente contraproducente paralisação contra um fato que nós reconhecemos. Para que paralisar, se já reconhecemos que temos que pagar.”

 

Notícias Relacionadas

Os comentários são moderados. Para serem aceitos o cadastro do usuário deve estar completo. Não serão publicados textos ofensivos. A empresa jornalística não se responsabiliza pelas manifestações dos internautas.

Deixe uma resposta

Você deve estar Logando para postar um comentário.