Idosa foge com neto para a Fronteira e é acusada de sequestro

Após discussão familiar, avó saiu com o neto, de 4 anos, e segundo ela, por acaso, veio parar na cidade

Na tarde de ontem, a Brigada Militar cumpriu o mandado de prisão, expedido pela justiça paulista, de Dalva de Oliveira, de 64 anos, acusada de sequestrar o próprio neto, de 4 anos em Franca/SP. De acordo com as informações divulgadas pela polícia, a idosa foi presa em frente à agência da Caixa Econômica Federal. Dalva era procurada a cerca de 7 meses. Ainda segundo a polícia, após perder o termo de guarda do neto, ela teria fugido com ele até chegar à Fronteira. Porém, a idosa não quis contar onde o neto estaria escondido. A Polícia e o Conselho Tutelar realizam buscas na Fronteira para localizar a criança. A seguir, em entrevista ao jornal A Plateia, a acusada revela sua versão da história:

A Plateia: Como a senhora veio parar na Fronteira? A senhora trouxe o seu neto junto?

Dalva Oliveira, 64 anos

Dalva: Eu desobedeci uma ordem judicial e vim com o meu neto, de Franca/SP, para cá. Em 2010 eu pedi a guarda do meu neto, filho do meu filho, eu ganhei a guarda provisória, mas a família da mãe da criança é uma família bastante influente em Franca. É uma família de delegado, que compra toda a cidade. Quatro dias antes de vencer a guarda provisória para vir à definitiva, a minha casa foi invadida, tentaram plantar provas dentro da minha casa. Só não conseguiram porque meu cachorro segurou todos. No dia do vencimento, o mesmo juíz que havia me dado à guarda provisória suspendeu-a. Eu cheguei a receber ameaças da polícia de São Paulo. Eu reclamei na corregedoria, que não tomou nenhuma providência no assunto. Reclamei ao promotor, também não deu em nada. Pedi a Polícia Militar para realizar uma ocorrência, porque policiais armados invadiram minha casa, porém eles não quiseram registrar. Em uma situação dessas, o que se pode fazer, a não ser fugir? Agora eu cheguei aqui, o senhor juíz de Livramento, me condenou a morte, daqui eu sei que não saio com vida”, finalizou.

A idosa foi encaminhada à penitenciária estadual, situada no município.

 

 

 

 

Notícias Relacionadas

Os comentários são moderados. Para serem aceitos o cadastro do usuário deve estar completo. Não serão publicados textos ofensivos. A empresa jornalística não se responsabiliza pelas manifestações dos internautas.

Deixe uma resposta

Você deve estar Logando para postar um comentário.