Tatiane Marfetan elogia ações em prol da mulher realizadas no Carnaval 2014

Legisladora afirma que momento é de estimular uma reflexão da sociedade  

No bloco: vereadora Tatiane, com seu filho Léo Felipe e, ao lado, sua chefe de gabinete Magali Moraes

A vereadora Tatiane Marfetan (PTB) literalmente vestiu a camiseta e abraçou a causa proposta pelo Bloco 8 de Março: durante o Carnaval de Rua 2014, a legisladora desfilou na avenida, acompanhada de seu filho, Léo Felipe e sua chefe de gabinete Magali Moraes.

Coordenadoria Municipal da Mulher, Centro de Referência e Gabinete da Primeira Dama articularam o bloco, que levou à avenida um samba com o tema Respeito às Mulheres.

“A intenção foi conscientizar as pessoas de que a mulher deve ser respeitada e que o índice de violência contra ela tem que ser reduzido a zero. Até avançamos – eis a equidade do gênero – no entanto ainda nos deparamos com diferenças cultuadas tanto nos espaços profissionais como afetivos. Há ainda muito preconceito nas opções que tratam das relações afetivas, pode-se dizer que existem ainda na sociedade contemporânea sequelas medievais, onde se defende que para o sexo masculino tudo é possível, enquanto as mulheres são rotuladas com adjetivos negativos, caso optem em usar a igualdade e liberdade em seus comportamentos sociais” – explana.

Segundo ela o entendimento de que a mulher precisa ter um comportamento reservado e casto é uma exigência que deve ser banido de uma sociedade livre e democrata. “Reflexão se faz necessária, pois comemoramos uma pequena parcela daquilo que efetivamente merecemos” – defendeu a legisladora do PTB. Para ela, há muito a caminhar na conquista de espaços de igualdade enquanto humanos, respeitadas as diferenças exigida para cada função ou posição social.

“Pretendo participar e apoiar todos eventos educativos, bem como aqueles que visam proteger e orientar as mulheres desde a adolescência, de como evitar gravidez precoce – nesse sentido se avizinha a materialidade do meu projeto voltado a esse tema, além de buscar políticas de como elas devem ser qualificadas profissionalmente e orientá-las que o valor é nós que conquistamos, através do amor próprio, autoestima e da independência profissional e econômica” – argumenta.

Conforme a vereadora, o primeiro passo é a valorização como pessoa, depois como mulher, sendo o momento de reflexão sobre aquilo que falta conquistar. “Temos consciência de que, além de provar que somos capazes, temos que lutar para desconstituir uma cultura ultrapassada, que como genes sutilmente passa de geração para geração, agredindo, rotulando e diminuindo o sexo feminino. Temos que modificar essa ideia através de apoios as entidades, campanhas e programas políticos, levando até as escolas, famílias uma orientação permanente e uma nova visão, onde veja-se o ser humano em pé de igualdade. O que é imoral e ilegal vale para ambos os sexos. Isso sim é avanço enquanto humanidade, independente de sexo, cor, raça e religião. É hora de reflexão para vermos o norte que nos levará a uma sociedade mais justa e equilibrada, e também é hora de vibrar e comemorar as conquistas até então e sorrir com um sorriso que vem do coração que fala de amor, compreensão, aceitação por que isso sim é coisa de mulher. Dançar, cantar, amar, apesar das adversidades da vida” – explana, concluindo ao parabenizar as mulheres.

 

Notícias Relacionadas

Os comentários são moderados. Para serem aceitos o cadastro do usuário deve estar completo. Não serão publicados textos ofensivos. A empresa jornalística não se responsabiliza pelas manifestações dos internautas.

Deixe uma resposta

Você deve estar Logando para postar um comentário.