Governo gaúcho deve antecipar repasse de verba do APL do leite

Recursos somam R$ 300 mil para investimentos no setor leiteiro e foram aprovados pela população na Consulta Popular

Dagberto esteve com o secretário Motta na quinta-feira e ontem

A Secretaria Estadual de Planejamento e Participação Cidadã do Rio Grande do Sul deverá antecipar a liberação dos recursos votados pela comunidade santanense na Consulta Popular de 2012 para o Arranjo Produtivo Local-APL do Leite. A garantia foi dada pelo próprio secretário titular da pasta, João Motta, aos vereadores Dagberto Reis e Germano Camacho, durante audiência realizada na manhã desta sexta-feira, 14, em Porto Alegre.

Ao total, já estão previstos no Orçamento do Governo do Estado R$ 300 mil para investimentos no APL do Leite em Livramento, mas a previsão inicial é de que a liberação do recurso somente ocorresse no próximo mês de março. O vereador Dagberto Reis já havia conversado com o secretário João Motta sobre o assunto, em dezembro passado, durante período em que ocupou o cargo de Prefeito interino. Agora, acompanhado pelo vereador Germano Camacho, voltou a abordar o assunto durante audiência e conseguiu a antecipação do recurso.

Na oportunidade, João Motta fez contato com a Secretaria de Agricultura, informando a disponibilidade do recurso e solicitando o encaminhamento do projeto referente, para a aplicação da verba. “Foi uma ação rápida que comprovou a sensibilidade já conhecida do secretário João Motta, proporcionando mais um benefício imediato para Livramento”, comemorou Dagberto. Ele também conversou com o Secretário sobre a situação da vitivinicultura local, pedindo apoio para uma política diferenciada para o setor na Fronteira Oeste. Motta determinou a sua assessoria um estudo junto à Secretaria da Fazenda para verificar que tipo de incentivo é possivel para alavancar a produção de vinhos na região e manter os empregos.

Notícias Relacionadas

Os comentários são moderados. Para serem aceitos o cadastro do usuário deve estar completo. Não serão publicados textos ofensivos. A empresa jornalística não se responsabiliza pelas manifestações dos internautas.

Deixe uma resposta

Você deve estar Logando para postar um comentário.