Novo presidente quer debates mais tranquilos

Gilbert Gisler, o Xepa, deixou claro que independência do Poder Legislativo será foco permanente em sua gestão

Gilbert Gisler, o Xepa, será o presidente da Câmara em 2014

O presidente eleito da Câmara de Vereadores, Gilbert Guilherme Saldívia Gisler, o Xepa (PDT), deixou claro que sua disposição, a partir dos primeiros dias de janeiro, é trabalhar no sentido de que os debates no legislativos sejam mais tranquilos. Eleito para ordenar as despesas em 2014 na Câmara, Xepa deixa a função de líder do governo e também terá que parar de advogar para exercer a função. O legislador confirmou que conversou com o atual presidente Dagberto Reis (PT) a respeito da posse, e ouviu deste que a ideia é realizar o ato antes de janeiro, em função do recesso parlamentar já estar em desenvolvimento. “Talvez seja no dia 30, até em função das festas de fim de ano, por volta das 10h. Vamos amadurecer essa ideia” – refere.
O presidente eleito deixa claro que seu foco permanente é a independência do Poder Legislativo em relação ao Executivo e ao Judiciário. “Agradeço a Deus, à família, aos meus amigos por estar nessa condição. Concorri a vereador por 5 vezes para poder chegar a esta realidade” – manifestou, afirmando que não foi candidato por si só. Xepa respondeu a uma série de questionamentos.

A Plateia – como foi a definição da candidatura?
Xepa - Nunca fui candidato de mim mesmo. Não cheguei à Câmara com essa intenção. Devido a um acordo da base do governo, ficou estabelecido que neste ano a presidência caberia ao PDT. Foi tratado e cumprido. O partido foi escolher e a vereadora Maria Helena, que é presidente do PDT, abriu mão. Será uma mudança radical na minha vida, pois todo mundo sabe que a presidência da Câmara é incompatível com advocacia. Tive que pensar até o úlitmo momento e ver os reflexos. Vereador eu estou, mas advogado vou ser a vida inteira.

A Plateia – Em que momento foi confirmada a candidatura?
Xepa - Amadurecemos a ideia de 60 dias para cá. Até porque quem não quer ser presidente da Câmara? A única incompatibilidade é com o Direito. Médico pode exercer. É uma determinação do Estatuto da Ordem dos Advogados do Brasil.

A Plateia – Em relação aos debates políticos, como vê?
Xepa - São várias ideias, segmentos representados, posicionamentos. Espero poder coordenar os trabalhos de forma apartidária, institucionalmente. Para mim, não há situação ou oposição. Fui líder do governo, faço parte da base de sustentação do governo, mas já falei com o prefeito Glauber Lima, estive reunido com o vice Edu Olivera. Vamos trabalhar por Livramento, vamos apoiar os projetos de interesse da cidade, sim. Agilizaremos as tramitações. Mas, não abro mão da independência do poder, como cidadão, como advogado. Conversei com a doutora Carmen (Carmen Lucia Santos da Fontoura, juiza da 1ª Vara) e entendemos que é necessário respeitar o que a Constituição determina. Não vou ingerir e não aceitarei de maneira nenhuma qualquer ingerência.

A Plateia – Esse é um foco específico do cidadão?
Xepa - Eu tenho um ditado, e meus colegas que fiquem tranquilos. Eu digo: subir a Andradas, descer a Rivadávia, contra fecha, de cabeça erguida, olhando nos olhos de cada um, com a consciência tranquila. Algum erro ou equivoco até se comete, a gente erra, mas jamais com dolo. Não esperem do Xepa qualquer ato errado ou que denigra minha imagem, de minha família, dos meus amigos e do Poder.

Notícias Relacionadas

Os comentários são moderados. Para serem aceitos o cadastro do usuário deve estar completo. Não serão publicados textos ofensivos. A empresa jornalística não se responsabiliza pelas manifestações dos internautas.

Deixe uma resposta

Você deve estar Logando para postar um comentário.